Dicas e experiências de um desenvolvedor brasileiro no Mapbox

Thiago Santos falou sobre sua trajetória profissional até uma dos maiores provedores de mapas online, abordou plataformas para dados espaciais - como o Open Street Maps e o Mapbox - e compartilhou dicas com as pessoas participantes do programa de membresia da Escola de Dados.

O primeiro webinar de 2021 da Escola de Dados contou com a presença de Thiago Santos, engenheiro de software do Mapbox, que compartilhou dicas e experiências sobre dados espaciais e a criação de mapas online. Os webinars são realizados ao vivo, com a participação de especialistas convidados e as pessoas participantes do programa de membresia da Escola de Dados.

Thiago conta que iniciou sua jornada no mundo dos mapas utilizando o Open Street Maps (OSM) por hobby, durante o inverno na Finlândia, país onde mora há 11 anos. Seu objetivo? Mapear digitalmente a cidade de Pará de Minas, em Minas Gerais, onde nasceu.

Para fugir das restrições presentes em dados espaciais proprietários, que não permitem reutilização e reprodução, Thiago recorreu às informações do IBGE. No órgão, encontrou os mapas em PDF, que foram utilizados durante o Censo de 2010 e continham o nomes das ruas e coordenadas geográficas, mesmo de comunidades remotas. Assim, ele conseguiu processar os arquivos para obter as informações necessárias para produzir o mapeamento. 

Porém, esta “solução” tem problemas de escalabilidade e PDFs ou imagens não são formatos de dados acessíveis. Hoje, felizmente, estes dados já são disponibilizados em formatos mais amigáveis, afirmou Thiago Santos.

No webinar, o desenvolvedor também mostrou funcionalidades do Mapbox. A empresa oferece soluções pagas e gratuitas, até certos limites de uso. Além disso, também faz parcerias com organizações não governamentais e veículos de imprensa, como no caso do apoio ao desenvolvimento e hospedagem do mapa do projeto “No Epicentro“, da Agência Lupa. A visualização, vencedora de diversos prêmios de design, se propôs a tornar a dimensão monstruosa da pandemia mais próxima das pessoas.

Posts relacionados

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.