Nova edição do ‘Data Journalism Handbook’ traz panorama global do jornalismo de dados

Dez anos após primeira edição, o livro ‘Data Journalism Handbook: Towards a Critical Data Practice’ compila a contribuição de 74 profissionais de todo mundo sobre práticas de jornalismo de dados.

O livro ‘Data Journalism Handbook: Towards a Critical Data Practice’ foi lançado hoje, 23 de março de 2021, e já está disponível com acesso aberto. Publicado pela Amsterdam University Press, o livro oferece uma coletânea diversa de perspectivas sobre o jornalismo de dados ao redor do mundo e conta com um capítulo escrito por Natália Mazotte, cofundadora da Escola de Dados no Brasil.

A nova edição traz textos de nomes de referência no jornalismo de dados internacional, como Florencia Coelho, Mona Chalabi, Nicholas Diakopoulos, Paul Bradshaw, Simon Rogers, Catherine D’Ignazio, Sarah Cohen, entre outras especialistas. Com 54 capítulos de 74 pesquisadores e profissionais do jornalismo de dados, a nova edição oferece uma visão “dos ​​bastidores” do trabalho jornalístico com conjuntos de dados, infraestruturas de dados e histórias baseadas em dados em redações, organizações de mídia, startups e organizações da sociedade civil. Do Brasil, há o capítulo de Natália Mazotte, com o título ‘Working Openly in Data Journalism’.

“Esta é uma coleção estelar que abrange perspectivas aplicadas e acadêmicas sobre as práticas de jornalismo de dados, rica em insights sobre como fazer com que dados contem histórias.”
Kate Crawford (AI Now Institute, New York University)

O trabalho editorial foi liderado por Liliana Bounegru e Jonathan Gray (King’s College London), e busca estimular a reflexão sobre uma ampla variedade de práticas de jornalismo de dados. O resultado é uma coleção de capítulos de pesquisadores das principais universidades ao redor do mundo e de profissionais de organizações como Al Jazeera, BBC, BuzzFeed News, Der Spiegel, eldiario.es, The Engine Room, Global Witness, Google News Lab, Guardian, o Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ), La Nacion, NOS, OjoPúblico, Rappler, Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento e o Washington Post.

“Este livro é um feito impressionante. Bounegru e Gray reuniram uma coleção verdadeiramente global e diversa que enriquece muito nossa compreensão da política de dados e o que isso significa para o jornalismo. Na esteira da pandemia de Covid-19, esta contribuição é mais importante do que nunca.”
Lina Dencik (Data Justice Lab, Cardiff University)

A publicação do material ocorre uma década após a primeira edição, o ‘The Data Journalism Handbook: How Journalists Can Use Data to Improve the News’, que começou como um rascunho colaborativo no Mozilla Festival 2011 em Londres e agora está disponível em 14 idiomas, sendo amplamente utilizado em todo o mundo. A primeira edição foi traduzida para o português e publicada em 2014, pela Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji).

Posts relacionados

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.