Cerveja com Dados: Rio de Janeiro e Brasília têm edições em maio

No Rio, evento será no dia 13/05, às 19h, no campus da Praia Vermelha da UFRJ; em Brasília, no dia 26/05, às 19h, no Espaço 405 Restaurante e Bar.

Em abril, o Cerveja com Dados teve sua primeira edição pós-pandemia em Florianópolis. Recebido com sucesso, o evento já tem data para acontecer em mais duas cidades no mies de maio.

No dia 13/05, às 19h, teremos uma edição no Rio de Janeiro. O encontro será no campus da UFRJ na Praia Vermelha (em espaço em frente ao bar do Manoel, conhecido como Sujinho). Para participar, basta confirmar sua presença na plataforma Sympla.

Já em Brasília, o evento será realizado no dia 26/05, às 19h, no Espaço 405 Restaurante e Bar (Asa Sul CLS 405 – Bloco D, Loja 12). Você também pode confirmar sua presença acessando se inscrevendo no evento no Sympla.

Confira abaixo as apresentações de cada edição.

Apresentações Cerveja com Dados Rio de Janeiro:
  • data_labe: Desafios de utilizar dados abertos sobre saúde mental no Rio de Janeiro
    Métodos e soluções para análise de dados do sistema de internação hospitalar entre os anos de 2011 a 2021 em Python, e aprofundamento qualitativo através de visita ao CAPS Juliano Moreira.
    Polinho é coordenador de dados no data_labe e mestre em Epidemiologia e Ciência de Dados e
    Samantha é analista de dados no data_labe e Física Médica apaixonada por Python


  • Base dos dados: Como começar a utilizar a plataforma
    A Base dos Dados é uma organização não-governamental, sem fins lucrativos, open source e colaborativa com a missão de universalizar o acesso a dados públicos de qualidade. Na apresentação, você descobrirá como usar o datalake público da iniciativa, onde diversas bases de dados já estão limpas, integradas e compatibilizadas.
    Fernanda Scovino é co-fundadora da Base dos Dados e cientista de dados na Prefeitura do Rio de Janeiro

  • Italab: Por dentro do Observatório de Itaboraí
    O Observatório de Itaboraí tem uma grande preocupação em conseguir comunicar de forma explícita e perceptível as informações sobre o município. Com o intuito de estar próximo à população, observando e compreendendo suas necessidades, fazem pesquisas para captar dados e fazer análises que auxiliam a produção de políticas públicas para o município.
    Everton dos Reis é estudante de Gestão Pública e Psicologia, coordenador do Observatório de Itaboraí, A Rocinha Resiste, Conexão Ubuntu, Lagoa Carioca e faz parte do MNU (Movimento Negro Unificado).

  • Financiamento de campanha política da bancada evangélica da Câmara Federal: uma abordagem com o uso de mineração de dados
    A partir dos dados de financiamento de campanha política e a base de resultados eleitorais do TSE, foram utilizadas técnicas de mineração de dados e segmentação para encontrar padrões e classificações dentre os deputados federais eleitos em 2018 que se autodenominam evangélicos com o intuito de comparar as classificações das denominações evangélicas com as classificações geradas por máquina, fazendo assim uma análise crítica dos resultados encontrados. A pesquisa concluiu que o padrão de financiamento de deputados evangélicos é distinto dos demais deputados e que foi possível classificá-los em grupos distintos.
    Josir Gomes é programador e pesquisador do Larhud/IBICT. Tem doutorado em Ciência da Informação pelo IBICT/UFRJ e mestrado em Administração de Empresas.

Apresentações Cerveja com Dados Brasília
  • Raspagem de dados com R
    Usando como exemplo de caso a coleta de informações do presidente Jair Bolsonaro, Augusto Coutinho mostrará como é possível obter dados utilizando esta linguagem.
    Augusto Coutinho é analista de dados e programador na Lagos Analytics, graduado em Ciência Política pela Universidade de Brasília (UNB).

  • Google e Eleições
    Será que o site mais acessado do mundo, o principal buscador e o lugar onde bilhões de pessoas buscam informações pode influenciar uma eleição?
    Max Stabile é doutorando em Ciência Política na Universidade de Brasília e estuda o impacto das big techs na democracia.

  • Métodos de agregação de pesquisas eleitorais
    Por que as pesquisas eleitorais divergem tanto? Quem está certo?
    Daniel Marcelino é cientista de dados no JOTA em Brasília, é especialista em modelos de machine learning e modelos de previsão eleitoral.

  • Opinião pública e democracia
    Como o DataSenado usa técnicas de amostragem complexas para estimar com fidedignidade e precisão mensurável a opinião dos brasileiros acerca dos temas debatidos no congresso nacional
    Marcos Ruben de Oliveira é estatístico, filósofo e doutor em psicometria, coordenador e estatístico chefe do DataSenado desde 2012.


    + Apresentações de Lori Regattieri e Judite Cypreste (mais informações em breve).
CERVEJA? COM DADOS?

O Cerveja com Dados é uma série de encontros informais, voltados ao público interessado no trabalho com dados, independente do nível de conhecimento no assunto. Desde 2017, já realizamos 45 edições em 16 cidades de todas as regiões do Brasil, envolvendo quase 2 mil pessoas.

Na dinâmica, 3 ou 4 profissionais compartilham metodologias de trabalho ou falas inspiradoras em breves apresentações. Após as falas introdutórias, as pessoas participantes podem conversam livremente sobre seus projetos, tiram dúvidas e trocam experiências, em um ambiente descontraído.

Nos próximos meses, devem ser anunciados os locais e datas para os encontros nas seguintes cidades:

  • Belém (PA)
  • Brasília (DF)
  • Cariri (CE)
  • Fortaleza (CE)
  • Porto Alegre (RS)
  • Recife (PE)
  • Rio de Janeiro (RJ)
  • Salvador (BA)
  • São Paulo (SP)

Para saber dos eventos nestas cidades, inscreva-se em nossa newsletter.

Caso sua cidade não esteja listada acima e você tenha interesse em organizar um encontro do Cerveja com Dados, leia este breve guia de organização do evento e preencha nosso formulário de manifestação de interesse.

Posts relacionados

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.