Lançamento do Índice de Dados Abertos para Cidades 2023

SOBRE O PAINEL

Como Belém e as capitais da região Norte do Brasil estão abrindo seus dados? Esta é a pergunta que orienta o lançamento do Índice de Dados Abertos para Cidades 2023 na região Norte, como parte de um ciclo de eventos regionais que visam pautar a abertura de dados e as políticas públicas em nível local.
Inspirado no Open Data Index, da Open Knowledge Foundation (OKF), o ODI Cidades 2023 é um mapa inédito do estado da abertura de dados em nível municipal no país, avaliando a disponibilidade e qualidade dos dados abertos das 26 capitais brasileiras. No estudo, 2.900 conjuntos de dados em 15 áreas de políticas públicas, como Saúde, Educação, Finanças Públicas, Meio Ambiente, foram avaliados.
Os eventos de lançamento do Índice serão realizados ao longo do mês de junho e na primeira semana de julho nas cinco regiões do país e contam com o apoio do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br).

NÍVEL

Básico.

PRÉ-REQUISITOS

Não há pré-requisitos.

ediane-lima

Ediane Lima

Mulher negra de origem ribeirinha, gestora de projetos do Observatório do Marajó.

dani-bello

Danielle Bello

Coordenadora de Advocacy e Pesquisa na Open Knowledge Brasil, onde lidera iniciativas que buscam fortalecer a abertura de dados e governos, a governança de dados e a governança democrática. Atua com políticas públicas desde 2016, no governo e terceiro setor, em especial nas áreas de governo aberto, transparência pública e educação. Mestranda em Administração Pública e Governo na Fundação Getúlio Vargas (FGV EAESP), é especialista em Gestão Pública (Insper) e bacharela em Políticas Públicas e em Ciências e Humanidades (UFABC).

renata-avila

Renata Ávila

É uma advogada internacional de direitos humanos e tecnologia e defensora da abertura. Atualmente, ela lidera a Open Knowledge Foundation (OKFN), uma organização global sem fins lucrativos cujo foco principal é endossar o valor dos dados abertos para a sociedade, ajudando indivíduos e organizações a acessar e usar dados para agir sobre problemas sociais. Anteriormente, foi bolsista e afiliada ao Instituto de Inteligência Artificial Centrada no Humano da Universidade Stanford e atualmente está associada ao Centro para a Internet e Sociedade no CNRS, França. Ela participa dos conselhos de várias organizações, incluindo Open Future, o Centro para o Avanço da Imaginação Infraestrutural e a Coalizão Just Net. Ela co-fundou a Aliança para Algoritmos Inclusivos e a Internacional Progressista. Ela co-escreveu dois livros e contribui regularmente para diferentes publicações em inglês e espanhol.

REALIZAÇÃO

CORREALIZAÇÃO

PATROCÍNIO

ORGANIZAÇÕES PARCEIRAS

APOIO

Nosso conteúdo está disponível sob a licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, e pode ser compartilhado e reutilizado para trabalhos derivados, desde que citada a fonte.