Dados e saúde: SIVEP sem segredo

Atividade exclusiva para pessoas inscritas no Coda.Br 2021.

Inscreva-se já OU faça login

SOBRE O WORKSHOP

A cobertura da Covid-19 no Brasil conta com o apoio de diferentes bases de dados, mas uma em especial ganhou destaque entre especialistas: o Sistema de Informação e Vigilância Epidemiológica da Gripe (Sivep-Gripe), disponível no OpenDataSUS. Uma das principais fontes para acompanhar as taxas de internações e óbitos pela doença, o Sivep-Gripe é o objeto de estudo principal deste workshop. Na atividade, a jornalista Carolina Moreno e o cientista de dados Raphael Saldanha compartilham suas experiências com o sistema e apresentam as principais características, caminhos para manipular os dados e pontos de atenção durante a cobertura.

O workshop começa com uma explicação sobre o que é o Sivep-Gripe, um breve histórico do sistema e como baixar a sua base, atualizada semanalmente. Focado em notificações de Síndromes Respiratórias Agudas Graves (SRAG), o Sivep foi um dos primeiros bancos de dados a apontarem que havia algo errado antes mesmo do estado pandêmico.

Inicialmente, a oficina mostra as características de navegação e o que dá ou não para saber a partir da base. Pela grande quantidade de informações, não é possível abrir tudo em uma planilha. Por isso, vamos mostrar como trabalhar com esses dados usando a linguagem de programação R.

Depois de apresentar a estrutura do sistema, o workshop mostra como tratar a base de dados na prática, a partir de um script disponível no Google Colab. O exercício consiste em agrupar as bases de 2020 e 2021, tratá-las e então analisar o período completo da pandemia. Para isso, é preciso abrir a base no RStudio usando o pacote Tidyverse, definir a classe das variáveis, juntar as diferentes bases, recodificar as variáveis categóricas (que vêm originalmente em valores numéricos) e criar novas variáveis, para enfim fazer a análise. O processo é demonstrado no workshop por completo.

Por fim, são apresentados alguns cuidados importantes e conceitos básicos de epidemiologia e dados de saúde, que podem influenciar a precisão da análise: por exemplo, noções sobre atraso e subnotificação, cruzamento com dados de vacinação, diferenças entre local de residência e local de notificação, etc. Se você ficou com vontade de saber mais sobre como o Sivep-Gripe pode ajudar na construção e apuração de pautas, a atividade ainda apresenta cinco exemplos de reportagens reais que usaram o sistema, informando inclusive quais variáveis foram utilizadas. Já pensou em quantos segredos o Sivep-Gripe pode ajudar a revelar? Agora só falta saber qual deles você quer descobrir e preparar a pauta. 

NÍVEL

Básico.

DURAÇÃO

1:30h

Referências da atividade

Ana Carolina Moreno

Carolina Moreno

Jornalista sênior de dados da TV Globo, é jornalista desde 2006, com especialização em edição em jornalismo desde 2009, e produz reportagens dirigidas por dados desde 2017. Cobre os dados da pandemia de Covid-19 desde o início para os telejornais locais e nacionais da TV Globo em São Paulo. Vencedora do Prêmio Andifes 2014 e 2015, segundo lugar no Prêmio Impa 2019. Jornalista Amiga da Criança pela Andi desde 2020. Participante do R-Ladies São Paulo desde 2019.

raphael

Raphael Saldanha

Cientista de dados em saúde, doutor em Informação e Comunicação em Saúde pela Fiocruz. Trabalha em pesquisas quantitativas em saúde e na produção de painéis de visualização de dados. Trabalha com os dados de COVID-19 desde o início da pandemia, construindo o painel de monitoramento de COVID-19 da Fiocruz MonitoraCovid-19. Ministra cursos de R desde 2010.

REALIZAÇÃO

DESENVOLVIDO COM

APOIO

APOIO DE MÍDIA

Visite os sites das edições anteriores: 2016201720182019 e 2020