Índice Folha de Equilíbrio Racial

Atividade exclusiva para pessoas inscritas no Coda.Br 2021.

Inscreva-se já OU faça login

SOBRE O WORKSHOP

O Brasil está diante de um novo cenário racial. No século passado, pessoas negras tendiam a se autodeclarar brancas, mulheres negras de cabelo crespo costumavam alisar o cabelo e os homens negros não deixavam o cabelo crescer. Depois, isso começou a mudar de forma significativa, com uma nova tendência das pessoas de se autodeclararem pardas ou pretas e com a valorização da identidade negra. Em resumo, a mudança na identificação racial, a ampliação do acesso ao ensino superior, o surgimento de novas lideranças e o crescimento do movimento negro foram os pilares para a construção desse novo contexto.

Em cima disso, a pandemia adicionou mais uma camada, já que durante o período houve uma amplificação do debate racial. Segundo o pesquisador do Insper Michael França, que ministrou este workshop, desse momento surgiram dois desafios principais: o de evitar a polarização racial no país e o de promover um debate construtivo a respeito do tema.

Com a questão racial em alta, França, Sergio Firpo (Insper) e Lucas C. Rodrigues  (USP) desenvolveram o Índice de Equilíbrio Racial (IER). O IER foi criado com o objetivo de monitorar a desigualdade racial no mercado de trabalho ao longo do tempo. Sendo assim, o índice mede o quanto a distribuição ocupacional por raça de determinado núcleo (firma, setor, região) diverge da distribuição ocupacional por raça em uma população de referência.

Durante a atividade, França explicou como o IER pode gerar uma mudança de comportamento: a partir do monitoramento das empresas, o índice informa se as instituições estão gerando maior equidade racial ou não. Identificando quais empresas avançaram e quais não, é possível contatá-las diretamente para saber que ações estão realizando para promover tal mudança de cenário. E dessa forma, assimilar as iniciativas que estão dando certo e difundi-las para todo o território brasileiro.

Inspirado no IER, França, Firpo e Alysson Portella (Insper) desenvolveram para a Folha de S. Paulo o Índice Folha de Equilíbrio Racial (IFER). Sua proposta é medir a distância entre, de um lado, a realidade de desigualdade racial nos estados e nas regiões do país e, do outro, um cenário hipotético de equilíbrio, em que a presença dos negros em estratos de elite refletisse seu peso na população de 30 anos ou mais. Diferentemente do IER, o IFER surge em quatro categorias diferentes: Renda, Educação, Sobrevida e IFER Total, calculado a partir de uma média simples dos outros três.

NÍVEL

Básico.

DURAÇÃO

1:30h

Referências da atividade

michael-franca

Michael França

Ciclista, doutor em teoria econômica pela Universidade de São Paulo; foi pesquisador visitante na Universidade Columbia e é pesquisador do Insper

REALIZAÇÃO

DESENVOLVIDO COM

APOIO

APOIO DE MÍDIA

Visite os sites das edições anteriores: 2016201720182019 e 2020