Descobrindo tendências com o Google Trends

Google Trends é uma ferramenta gratuita disponibilizada pela Google, que permite acessar dados sobre buscas feitas pelos usuários do YouTube, Google Shopping, Google News e, claro, do próprio buscador principal do Google. Tudo em tempo real e em escala mundial. Neste tutorial, vamos aprender conceitos básicos para usar o Trends e ter uma introdução a algumas de suas funcionalidades.

“A ferramente se propõe a oferecer uma amostra das buscas feitas no Google”, esclareceu Keila Guimarães, curadora do Google News Lab no workshop ‘Pandemia na busca: o que as buscas do Google revelam sobre 2020‘ na última Conferência de Jornalismo de Dados e Métodos Digitais, o Coda.Br 2020.

Ou seja, para início de conversa é importante ter claro que o Trends não dá acesso direto a todas as 3 bilhões de buscas feitas no Google diariamente, mas sim a amostras que são representativas deste total.

Para entender os dados do Trends, é fundamental também compreender seu índice de popularidade. No geral, a plataforma não mostra os números absolutos, dizendo quantas pessoas buscaram um determinado termo, por exemplo. 

O Trends trabalha principalmente com um índice de interesse, sempre relativo a um recorte geográfico e temporal. “Caso contrário, os locais com o maior volume de pesquisa apresentariam sempre a classificação mais elevada”, explica a página de perguntas e respostas do serviço, que traz mais detalhes sobre a elaboração das amostras e índices da ferramenta. A página também afirma que os dados “em tempo real” são uma amostra dos registros dos últimos sete dias. E há outra amostra, histórica, com registros que vão de 2004 até 36 horas antes da pesquisa.

Ou seja, a quantidade absoluta de pesquisas feitas sobre determinado termo no estado de São Paulo pode ser maior que no Amapá, por exemplo, mas o segundo pode ter um índice maior ainda assim.

DESCOBRINDO A PLATAFORMA

Vejamos abaixo como isso funciona na prática. Vamos começar acessando o site da plataforma: trends.google.com.br

Na página principal, o Google Trends já mostra alguns exemplos práticos de utilização de dados da plataforma em mapas e histórias sobre assuntos recentes. Mais abaixo, ainda na página principal, também é possível ver os assuntos mais “quentes” do momento, no ranking sobre os termos que os usuários mais estão pesquisando nas últimas 24 horas. 

A aba ‘Pesquisas em alta’ é o único lugar do Trends onde é possível ver os números totais de usuários que buscaram certos termos.

Print retirado de https://trends.google.com.br/trends/?geo=BR, no dia 23/11/2020

 

Aqui, iremos explorar principalmente a possibilidade fazer suas próprias buscas. No topo da página principal, há uma caixa de texto onde é possível inserir as palavras que desejamos buscar.

Aqui, é importante entender a diferença entre “termos de pesquisas” e “assuntos”. Enquanto os termos de pesquisa representam uma busca mais literal pelas palavras ali inseridas, o “assuntos” é resultado de uma agregação via inteligência artificial, que reúne buscas realizadas com termos diferentes (inclusive em idiomas diferentes) mas que dizem respeito ao mesmo assunto. Por exemplo: o assunto “unidade de terapia intensiva” reúne não só buscas com os termos “UTI” em português como também “intensive care unit” em inglês.

ENTENDENDO as FORMAS DE BUSCA

Para ficar mais claro, faça o seguinte experimento: busque por “unidade de terapia intensiva” primeiro como assunto e depois como “termo de pesquisa” no Google Trends, fazendo um filtro para pesquisar dados de todo o mundo (veja a opção abaixo).

 

Print retirado de https://trends.google.com.br/trends/?geo=BR, no dia 11/04/2020

 

Repare na diferença do mapa que será gerado: naturalmente, o termo de busca exato “unidade de terapia intensiva” concentra-se no Brasil, enquanto o assunto traz informações de todo o mundo. Você consegue compreender a razão desta diferença?

Assim, no geral, a dica é utilizar a busca por ‘Assuntos’ sempre que possível, já que ela irá representar uma amostra mais robusta e representativa.

Alterando a busca pela localidade (Todo o Mundo/País/Região/Cidade), também é possível ver as diferenças regionais de comportamento de cada população ao utilizar o Google. Uma funcionalidade interessante do Trends é a possibilidade de comparar termos diferentes ou ainda o mesmo termo, mas em recortes geográficos distintos. Veremos abaixo um exemplo disso.

o índice de popularidade é relativo

Quando você busca um termo na página inicial do Google Trends,  a primeira coisa que você vê é um gráfico de linha que mostra o interesse ao longo do tempo nas palavras em questão. Assim, você consegue enxergar quando o termo teve seu “pico de interesse” e a variação na série histórica, de acordo com o índice de popularidade, calculado sempre de forma relativa e representado por um número, em uma escala de 0 a 100.

Ou seja, se o índice de certo termo caiu ao longo do tempo isso não quer dizer que existam menos buscas sobre ele em números absolutos, mas indica que a percentagem de buscas sobre este termo em relação ao total diminuiu. Devido ao número crescente de usuários, caso fossem considerados os números absolutos, praticamente todos os temas teriam um aumento de interesse ao longo do tempo. Por isso, os dados são normalizados.

Você pode usar os filtros de data para selecionar o período de interesse, a partir de 2004. Veja abaixo como os picos de interesse sobre eleição coincidem com os anos eleitorais.

Print retirado de https://trends.google.com.br/trends/explore?date=all&geo=BR&q=elei%C3%A7%C3%B5es, no dia 23/11/2020


A busca pode ser filtrada por variáveis como tempo, localização dos dados, assuntos e termos de pesquisa.
É possível também alterar a ferramenta de pesquisa na web para pesquisa de notícias, de imagens, Google shopping, pesquisa do YouTube, possibilitando assim alterar a análise de buscas em outros sites. Os rankings e os índices mudam conforme alterações são feitas nas opções de localização, período de tempo, categorias e plataforma de busca. 

Print retirado de https://trends.google.com.br/trends/?geo=BR, no dia 11/04/2020

 

É possível explorar também os assuntos e pesquisas relacionadas. Nos assuntos, o Google agrupa diferentes palavras que as pessoas usam para buscar um termo e as outras consultas de pesquisa trazem também termos relacionados.

Agora que você já está mais acostumado com os conceitos básicos e a plataforma, que tal dar um passo além? Você pode explorar a possibilidade de comparar termos de busca, utilizando filtros diferentes em cada um, para descobrir tendências locais.

Para te inspirar, deixamos abaixo um exemplo de utilização deste recurso de comparação, feito pelo Nexo, no qual é possível observar a diferença de interesse que cada estado do Brasil tem sobre três idiomas diferentes: inglês, espanhol e italiano. A grande quantidade de buscas sobre a língua espanhola em Roraima, pode ser explicada pelo grande número imigrantes Venezuelanos que entraram no estado nos últimos anos.  

 

Print retirado de reportagem do Nexo, citada na apresentação de Keila Guimarães, no Coda.Br 2019

 

Se você quer receber mais dicas sobre o Trends, pode se cadastrar nesta newsletter do Google para redações, onde são compartilhadas tendências de pesquisas do Trends para auxiliar na proposição de pautas sobre temas quentes do momento.

* Este tutorial foi elaborado por Adriano Belisário, Luan Rodrigues, Marília Gehrke a partir das anotações de Raphaela Ribeiro no workshop sobre Google Trends realizado por Keila Guimarães na IV Conferência de Jornalismo de Dados e Métodos Digitais, em 2019. Confira também o workshop sobre o Google Trends da última edição do Coda.Br 2020.

Deixe um comentário